s2a1. Conceito Básico de Computação (parte 2) – SOFTWARE

Software
Software, logicial ou programa de computador é uma sequência de instruções a serem seguidas e/ou executadas, na manipulação, redirecionamento ou modificação de um dado/informação ou acontecimento.
Software também é o nome dado ao comportamento exibido por essa seqüência de instruções quando executada em um computador ou máquina semelhante.
Tecnicamente, Software também é o nome dado ao conjunto de produtos desenvolvidos durante o Processo de Software, o que inclui não só o programa de computador propriamente dito, mas também manuais, especificações, planos de teste, etc.

Sistema Operacional
Sistema operacional é um conjunto de ferramentas necessárias para que um computador possa ser utilizado de forma adequada.
Um SO, como também são conhecidos os Sistemas operacionais, faz o papel de intermediário entre o aplicativo e a camada física do hardware. Esta é uma das formas de conceituar o termo sistema operacional, como um conjunto que permite a abstração do hardware.
Desta forma, se não houvessem sistemas desse tipo, todo software desenvolvido deveria saber se comunicar com os dispositivos de hardware do computador de que precisasse.
Quando temos um sistema operacional, é ele quem precisa saber lidar com os dispositivos, sabendo falar com a placa de som, com a internet, com os disquetes, etc. Assim, um software que seja feito para funcionar neste sistema não precisará de informações específicas do equipamento. Ao invés disso, ele chamará funções do kernel e o sistema operacional é que fará a comunicação, repassando os resultados.
Cada sistema operacional pode ter uma maneira própria e distinta de comunicar-se com o hardware, razão pela qual é comum que softwares feitos para um sistema operacional não funcionem em outro, principalmente no caso de linguagens compiladas.
Uma outra forma de conceituar sistema operacional é como um gerenciador de recursos. É função do SO identificar que dispositivos estão ociosos e ocupados, como por exemplo dividir o tempo de uso da CPU entre os vários processos, alocar e gerenciar o uso de memória principal e secundária.
A definição do que constitui um sistema operativo é bastante controversa. Acadêmicos como Andrew Tanenbaum consideram que só a parte do sistema que roda sobre modo kernel constituem o sistema operativo e os demais softwares básicos são ferramentas de sistema. Outros no entanto consideram os sistemas operativos como o conjunto de kernel e ferramentas de sistema.

Aplicativo
Software Aplicativo (ou aplicativo ou ainda aplicação) é um programa de computador que tem por objetivo o desempenho de tarefas de índole prática, em geral ligadas ao processamento de dados, como o trabalho em escritório ou empresarial.

Arquivo
No disco rígido de um computador, os dados são guardados na forma de arquivos (ou ficheiros, em Portugal). O arquivo é um agrupamento de registros que seguem uma regra estrutural, e que contém informações (dados) sobre uma área específica.
Estes arquivos podem conter informações de qualquer tipo de dados que se possa encontrar em um computador: textos, imagens, vídeos, programas, etc. Geralmente o tipo de informação encontrada dentro de um arquivo pode ser prevista observando-se os últimos caracteres do seu nome, após o último ponto (por exemplo, txt para arquivos de texto sem formatação). Esse conjunto de caracteres é chamado de extensão do arquivo.
Como os arquivos em um computador são muitos (só o sistema operacional costuma ter centenas deles), esses arquivos são armazenados em diretórios (também conhecidos como pastas).

Extensão de arquivo
A noção de extensão do nome de um ficheiro (no brasil, arquivo) foi criada pelos sistemas operativos DOS, para diferenciar os vários ficheiros externamente ao seu conteúdo. Consistia em apenas três caracteres no final do nome, separados por um ponto. Então, padronizaram-se algumas extensões:
EXE , COM: Ficheiro executável;
BAT: Ficheiro batch (de grupo de comandos); equivalente a um scripts;
TXT: Ficheiros de texto simples;

Diretório (ou Pastas)
Estrutura, em informática, utilizada para organizar arquivos em um computador.
Um diretório pode conter arquivos e diretórios, que podem conter também arquivos e diretórios. Isso pode se estender bastante. Pode-se ter, por exemplo, vinte diretórios, um dentro do outro.
Os diretórios servem, portanto, para organizar o disco rígido. Graças a eles, podemos colocar os arquivos mais importantes em um canto para que não sejam alterados, agrupar arquivos por dono, tipo ou da forma que for desejada.
Toda essa estrutura de arquivos e diretórios pode ser vista como uma Árvore. Assim, o diretório principal, que não tem nome, é conhecido como a raiz, os diretórios são ramificações e os arquivos são as folhas.

Software livre
Software livre, segundo a definição criada pela Free Software Foundation é qualquer programa de computador que pode ser usado, copiado, estudado, modificado e redistribuído com algumas restrições. A liberdade de tais restrições é central ao conceito, o qual se opõe ao conceito de software proprietário, mas não ao software que é vendido almejando lucro (software comercial). A maneira usual de distribuição de software livre é anexar a este uma licença de software livre, e tornar o código fonte do programa disponível.

Anúncios

s2a1. Conceito Básico de Computação (parte 1) – HARDWARE

Seja no mercado, banco ou na quitanda, no ônibus, barca ou metrô, do aeroporto ao elevador o computador esta presente de maneira direta e indireta no nosso cotidiano.Dificilmente alguém da cidade do Rio de Janeiro não usou um computador. Segue o que é computador pelo dicionário Priberam – http://www.priberam.pt

Computador   adj. e s. m.,que ou aquele que faz cômputos, que calcula;s. m., Inform., aparelho concebido para desempenhar cálculos e operações lógicas com facilidade, rapidez e fiabilidade, segundo instruções (programas) nele introduzidas, constituído, de um modo geral, por unidade(s) de introdução (input), unidade de processamento central (C.P.U.), unidade de armazenamento principal permanente, memória temporária e unidade(s) de saída (output); – pessoal: tipo de computador concebido para ser usado por um utilizador de cada vez, baseado num microprocessador (pequeno circuito integrado) que desempenha as funções de unidade de processamento central   

  Dados, Informação e Conhecimento

Antes de falarmos mais sobre o computador, é interessante apresentarmos alguns conceitos relativos aos motivos que levaram os seres humanos à desenvolverem máquinas tão complexas e formidáveis. 

Objetivo do computador: auxiliar a transformação de conjuntos de dados em informação útil.No sentido mais amplo, um computador é qualquer equipamento ou dispositivo capaz de armazenar e manipular, lógica e matematicamente, quantidades numéricas representadas fisicamente.

 Exemplos de computadores são: ábaco, calculadora, computador analógico, computador digital.Os computadores eletrônicos-digitais da arquitetura PC. PC vem do inglês Personal Computer – computador pessoal. Trata-se de um Computador de de baixo custo, que se destina ao uso pessoal (ou para uso de um pequeno grupo de indivíduos). Também é comum o uso do termo desktop para esta classe de computadores. O PC foi o precursor da utilização maciça dos computadores para digitação de textos, armazenamento de informações, processamento de dados, comunicação escrita, falada, entretenimento e uma infinidade de outras aplicações.Podemos estudar o funcionamento do computador em partes bem distintas: Hardware, Software e Peopleware.

Hardware – é a parte física do computador, ou seja, é o conjunto de componentes eletrônicos, circuitos integrados e placas, que se comunicam através de barramentos

Software – é a parte lógica, ou seja, o conjunto de instruções e dados que é processado pelos circuitos eletrônicos do hardware. Toda interação dos usuários de computadores modernos é realizada através do software, que é a camada virtual, colocada sobre o hardware, que transforma o computador em algo útil para o ser humano.

Peopleware – é exatamente esse ser humano, que interage e alimenta e busca novas utilidades para o uso da máquina
 

Conhecendo o Hardware  

1) A comunicação (interface) com o usuárioSão definidos como dispositivos de entrada e saída respectivamente: teclado, mouse e monitor.

2) O Gabinete

O gabinete é a “caixa”que guarda todas as peças do computador, protegendo as peças que fazem realmente o trabalho de funcionamento.Algumas peças são encaixadas e aparafusadas diretamente no gabinete, outras estão na Placa Mãe.Exemplos algumas de peças aparafusadas diretamente no gabinete são drives de Cd Rom e disquete e HD. Vão na Placa Mãe o processador, memória RAM.

2.1) Placa Mãe

A Mother Board – na internet muito referida como mobo – a Placa Mãe é onde ficam abrigados componentes fundamentais do PC. Nela encontramos Slots, onde fixamos outras placas para tarefas distintas como produção de imagens e som. Também nela se abriga o Microprocessador, a memória RAM e chips de controle.

2.2) Processadores

Responsável pelo “pensamento” do computador, o microprocessador, escolhido entre as dezenas disponíveis no mercado, determina a capacidade de processamento do computador e também o código de máquina que ele compreende (e, portanto, os programas que ele é capaz de executar).Sua qualidade é definida pelo nome do projeto e pela sua freqüência, medida em herts. O termo equivale a ciclos por segundo.

2.3) Memória RAM

Memória definida como primária, ou seja fundamental, nesta memória que são carregados os programas em execução e os respectivos dados do utilizador. Uma vez que se trata de memória volátil, os seus dados são perdidos quando o computador é desligado. Para evitar perdas de dados, é necessário salvar a informação para suporte não volátil (por ex. HD)

2.4) HD – Hard Disk

Definida como memória secundária. Fixado aparafusado diretamente no gabinete e ligado a Placa Mãe através de um cabo, o HD é a memória não volátio para armazenamento de informações. É através dele que a RAM irá se receber conteúdos renováveis para utilizar no micro. Seu tamanho é medido em Giga Byte , unidade de medida que define a quantidade de dados que o HD pode armazenar.

2.5) Drives

Anexado ao gabinete e conectado de forma similar ao HD, os Drives permitem outras formas de armazenamento e consulta de dados como disquetes e CD-Rom. Adicionando um drive de disquete podemos guardar informações para consultas posterior em pequenos discos flexiveis, revestidos com plásticos e facilmentes portáveis.Adicionando um drive de CD-ROM podemos acessar informações gravadas em discos compactos, inclusive audio. Há drives que so leem Cds e tem os connhecidos como BOX que além de gravar Cds, lêm DVDs.

2.6) Placas

Nos Slots da Placa Mãe, agregamos placas com funcionalidades específicas. Vejamos algumas:Placa de vídeo – Converte e transmite sinais formando imagens visualizadas no Monitor.Placa de som – É responsável pela Saída e Entrada de som no computador. Tudo que esta ligado a som, passa por essa placa.Placa de rede – A rede são várias maquinas interligadas para o compartilhamento de conteúdo. Essa placa recebe o cabo que servem de via da informação a ser compartilhada e conseqüentemente transmitida.Placa de fax-modem – modula um sinal digital em uma onda analógica, pronta a ser transmitida pela linha telefônica, e que desmodula o sinal analógico e o converte novamente ao formato digital original. Utilizado para conexão à Internet, BBS, ou a outro computador.

2.7) Fonte de alimentação

Por se tratar de um dispositivo elétrico, o computador precisa de energia para que todos os seus componentes funcionem de forma adequada. O dispositivo responsável por prover energia ao computador é a de fonte de alimentação. Ela é fixada aparafusada no gabinete e seus conectores são ligados na placa mãe e nos Drives existentes.

3) A camada software – Bios

Se fôssemos nos referir a Bios quando falámos sobre Hardware nos especificaríamos a ela como “Flash Rom” ou chip Bios, que é um pequeno chip soldado na placa mãe. Mas sua importância só se faz reconhecida pela informação que ele leva.A BIOS (Basic Input/Output System – Sistema Básico de Entrada/Saída) é o primeiro programa executado pelo computador ao ser inicializado. Sua função primária é preparar a máquina para que outros programas, que podem estar armazenados em diversos tipos de dispositivos (discos rígidos ou HDs, disquetes, CDs, etc) possam ser executados.A manutenção desse componente se presta também via software, ou seja, devemos ficar atentos para atualização desse programa através de sítios do fornecedor da placa mãe.